Obrigado por ler o nosso artigo, espero que goste! Se precisar de ajuda com seu marketing, entre em contato.

As etapas de uma produção musical

Antes de colocar seu trabalho para rodar, o ideal é que ele tenha passado por todas as etapas de uma produção musical, isso porque o processo envolve muito mais do que estúdios profissionais de música, indo muito além com as ideias, desenvolvimento e refinamento. 

Essas etapas podem ser vistas como partes separadas ou ampliadas, abrangendo desde a escrita, passando pela composição, gravação, design de som e indo até a mixagem e masterização

Mas para que fique ainda mais claro, vamos desenvolver tópicos explicativos dos passos base para que a execução da sua produção fique ainda mais completa. Vamos à leitura?

Quais são as principais etapas de uma produção musical?

Antes de mais nada, não adianta colocar na cabeça que basta ser criativo para sair um trabalho bem feito, as coisas são bem mais profundas que isso. Até porque, antes do lançamento de um EP, single e/ou álbum, tem muita água para rolar debaixo da ponte. 

Mas nada é tão complicado que não possa ser simples, pois um artista precisa sentir prazer naquilo que está desenvolvendo, afinal, a inspiração não pode parar, mesmo quando estiver envolto em detalhes técnicos e bastante específicos. 

Sem mais delongas, vamos ao primeiro passo:

  1. Guia: gravação simples para uma percepção geral

Já imaginou como o músico que irá acompanhar a sua composição se sentirá sem ter a mínima noção de como são os versos, refrão ou até mesmo o ritmo? Ele estará lendo um texto ou até um bom poema, mas não conseguirá identificar as características marcantes da música. 

Desse modo, o guia é extremamente importante, pois ele irá oferecer essa base para que artistas e produtores tomem conhecimento do que será trabalhado, podendo pensar, inclusive, em novos arranjos e instrumentos de acompanhamento, por exemplo. 

Também é necessário que a gravação esteja em boa qualidade, até porque se você for enviar o trabalho para um produtor ou outro músico, eles precisam ter confiança na hora de fechar uma parceria, por exemplo.

A sua gravação deve ser limpa, com uma composição bem elaborada, instrumentos e voz afinados, sem contar a interpretação, que deve passar o sentimento a ser transmitido pela música, fazendo com que haja interesse de quem está ouvindo. 

  1. Pré-produção: definição de arranjos e instrumentos

Como dizem na gíria, é preciso “gastar uma onda” nesta etapa, ou seja, foque o seu tempo na pré-produção, pois ela ajudará com a qualidade das demais etapas posteriores.

Escolher um bom arranjo não é nada fácil, até porque ele irá dar vida à sua música, garantindo uma identidade ao som. Então, qual é a vibe escolhida para determinada letra? Como você imagina que ele soará aos ouvintes? 

A composição musical pode até estar perfeita, mas se os seus arranjos e instrumentos não forem selecionados com calma e com boa análise, o resultado final pode não se aproximar do que você esperava, podendo gerar até mesmo algum tipo de frustração. 

Nesta etapa, estúdios profissionais de música podem ajudar a alinhar o seu projeto da melhor forma, com o objetivo de garantir um resultado final de excelência para o seu futuro lançamento. 

Um estúdio caseiro pode até funcionar, mas você deve ter atenção à qualidade do som que está sendo gravado, bem como aos aparelhos utilizados e possíveis ruídos externos, como carros, motos etc. Caso você opte por essa alternativa, procure um cômodo silencioso e, se necessário, incremente o ambiente com uma boa acústica antes de tudo.

Mas o que é necessário para produzir uma música?

Fazendo um adendo aqui, nada acontece de repente, sem um preparo antecipado que dará o suporte necessário para prosseguir com a sua produção musical. Estamos falando isso porque existem alguns itens essenciais, além de um certo conhecimento sobre o assunto. 

Produzir música pelo notebook é possível, bem como produzir música no celular também é, mas lembre-se de que a sua qualidade depende muito desses aparelhos. Então, o que você vai precisar?

  • Monitores de áudio, que nada mais são do que caixas de som profissionais;
  • Interface externa de áudio, que ligam o microfone ao computador de maneira independente;
  • Microfone, pop-filter e pré-amplificador, sendo que a boa qualidade desses aparelhos ajudam a tirar a interferência comum da respiração e do movimento dos lábios, deixando um som muito mais nítido e bonito;
  • Fone de ouvido, caso os monitores de referência não sejam uma opção para você;
  • Um bom isolamento acústico e um computador que dê conta do recado, rodando perfeitamente os softwares necessários, que são assunto para o próximo tópico. 

Vamos continuar na pré-produção e falar um pouco sobre os softwares?

Conheça os melhores programas para produzir música

Opção no mercado é o que não falta, até porque estamos evoluindo muito em tecnologia a cada dia, possibilitando que artistas façam sucesso sem nem mesmo sair de casa. 

Os famosos DAW’s (Digital Audio Workstation) possuem uma capacidade incrível de processamento e eficácia, sendo que a gravação e a edição ficam super profissionais, indo um pouco além de outros programas que costumam ter o preço bastante elevado para quem está começando agora. Confira alguns:

  • Logic Pro: possui funcionalidades e efeitos interessantes, como a função Session Drummer, por exemplo, que oferece um baterista virtual para acrescentar batidas à sua música. Seu visual é bastante intuitivo, mas o problema é que ele só roda em aparelhos Apple, não sendo nada leve.
  • Reaper: já pensou em customizar o software com o qual você está trabalhando? No Reaper isso é possível, tanto em interface como em funcionalidade. A licença gira em torno de 60 USD, não sendo nada exorbitante para quem quer garantir um resultado final de qualidade. Ele anda tomando lugar entre as DAW’s, pois as funcionalidades se aproximam muito dos concorrentes, sendo que por um preço bem mais acessível. E sabe o que é melhor? Ele possui uma versão gratuita!
  • Ableton Live: esse é o queridinho de quem é da vertente do eletrônico, pois possui funcionalidades para o uso simultâneo de diversos clipes e mudanças de tempo, sendo que a interface é de rápida assimilação, intuitiva e bastante prática. Se quiser mixar, esse é o seu software. Hea

Agora que já falamos um pouco sobre a pré-produção, vamos passar para a fase seguinte, a captação.

  1. Captação: timbres e coerência entre os instrumentos

Uma música gostosa de ouvir é aquela que tem uma harmonia entre tudo o que está acontecendo, afinal, são muitas coisas, não é mesmo? Então, porque com o seu trabalho seria diferente?

Essa captação deverá ser realizada com todo o cuidado possível, uma vez que edição não faz milagres e outra: se deixar passar muitos detalhes, pode ser que a música no final não pareça tão natural, pois será preciso mexer em muitas coisas.

Logo, faça a captação de forma eficiente e bem pensada, evitando erros que poderiam ser ajustados ainda durante esta etapa. 

Caso você esteja gravando com uma certa variedade de instrumentos e não esteja gostando do resultado, feche parcerias para que seja possível garantir um bom alinhamento. 

Lembre-se de que você não precisa ser bom em tudo, até porque temos muitos músicos profissionais no mercado que podem lhe dar aquela mãozinha, inclusive amigos seus se parar para analisar.

  1. Edição: peça-chave do seu resultado final

Não pense que a edição acontece apenas no final do processo, porque ela vem acompanhando cada etapa, principalmente quando os instrumentos são envolvidos para ditar o ritmo, por exemplo. 

Quem produz uma música pode trabalhar de forma a oferecer uma entrega profissional, com todos os detalhes muito bem aproveitados para que o lançamento possa ser de um sucesso ainda maior. 

Desse modo, se você, como artista independente ou não, tem chances de contratar um bom produtor, faça esse investimento na sua carreira, já que EPs, singles e álbuns farão parte do seu portfólio ao longo da sua profissão.

  1. Mixagem e masterização: colocando os sons nos devidos lugares

Como falamos anteriormente, as caixas de som profissionais auxiliam (e muito) na hora de ouvir com qualidade o que você está fazendo. Elas são cruciais no momento de inserir a mixagem e masterização, pois cada detalhe conta. Imagine que milhares de pessoas estarão escutando a sua música em fones de ouvido!

A mixagem de som acontece depois que todos os sons foram coletados, ou seja, chegou o momento de unir os instrumentos para que eles fiquem harmônicos, estando alinhados entre eles, em tom, volume e suavidade. 

Ao adicionar, mesclar, aumentar, diminuir e sincronizar os áudios da melhor maneira será possível criar até mesmo os sentimentos que você deseja passar, através de sensações produzidas por uma boa mixagem.

E chegou a hora da última etapa: a masterização de música

Onde aquele ajuste fino irá ocorrer para que a sua música tenha o resultado final desejado, com volumes de todos os instrumentos alinhados, além de outros detalhes imprescindíveis para que o seu lançamento musical seja um verdadeiro sucesso.

Compartilhe
Outros temas:
Mais sobre o tema:

Deseja acelerar seus resultados na internet?

Entre em contato, nós temos a solução perfeita.

blogpost fim