Botão de impulsionar do Facebook é ruim

Pare de usar o botão de impulsionar post no FB e Insta


Consultoria de Facebook Ads

Muitas pessoas procuram por fórmulas mágicas, receitas e truques na manga quando o assunto é impulsionar post no Facebook, mas, nem sempre, tudo o que é perfeito para uma empresa/marca pode ser para outra.

Afinal, anúncios, posts e até mesmo a linguagem precisam ser modificados de acordo com o objetivo da campanha, meta estipulada e a persona, por exemplo.

Vira e mexe ocorrem mudanças na forma de anunciar no Facebook, fazendo com que haja a necessidade de atualizações constantes por parte do responsável por um dos itens mais importantes da sua empresa: o dinheiro.

Colocar uma verba na mão de quem não entende do assunto, seja ela pequena ou grande, pode acarretar em falhas até mesmo irreparáveis.

Gastos inadequados e falta de resultado são capazes de causar uma queda na autoestima de qualquer empresa, visto que gastamos esperando algum tipo de retorno.

Por isso, indicamos contar com profissionais do segmento, que farão da sua verba uma verdadeira oportunidade para a ampliação do seu negócio, até porque, quando gastamos com sabedoria, o retorno vem em formato de lucro. Exatamente do jeito que você espera.

Tá pensando em correr pro Facebook e apertar o botão de “impulsionar post”? Segura essa vontade e leia o conteúdo a seguir. Temos certeza de que você irá olhar seus anúncios de forma bem diferente!

Impulsionar post no Facebook: como funciona o Turbinar Posts

Participando do ranking mundial de usuários do Facebook, o Brasil está em terceiro lugar no número de pessoas ativas na plataforma, totalizando aproximadamente 130 milhões, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo site TecMundo.

Desses 130 milhões de usuários brasileiros, 95% acessam a plataforma através de celulares, o que nos coloca ainda mais próximos dos nossos prospects.

Opa! Mas o que é prospect? São aquelas pessoas que entram em contato com a marca de alguma forma, podendo avançar no funil de vendas e se transformar em lead – possível cliente comprador.

Sendo assim, com anúncios previamente construídos de forma assertiva, você poderá impactar pessoas a qualquer hora e em qualquer lugar.

Clichê sim, verdade também! Baixa performance não é uma opção pra gente.

É preciso utilizar estratégias e um planejamento consistente para que não sejam criados impulsionamentos ou anúncios muito genéricos, pois assim você estará apenas gastando tempo, mostrando sua marca de forma desorganizada e o pior: gastando dinheiro à toa.

Pra começo de conversa, é preciso se colocar no lugar do visitante e imaginar a sua jornada depois que clicar no seu post. Fazer um teste é crucial para identificar possíveis falhas e consertá-las.

Consultoria de Facebook Ads

Pode parecer bem simples apertar um botão que, vira e mexe, aparece quando uma das publicações tem mais alcance que as outras.

Afinal, como funciona o Turbinar Post?

Primeiramente, é preciso que você possua uma conta comercial ativa no Facebook, que deverá estar vinculada ao seu perfil pessoal ou liberada a você como moderador.

Logo após, você precisará ter construído uma publicação que possa ser impulsionada no Facebook, seguindo algumas regras impostas por eles, tais como:

  • Possuir uma conta ativa no Gerenciador de Anúncios;
  • Ter um conteúdo original, pois não é possível impulsionar publicações compartilhadas de outros perfis (o famoso repost);
  • Ter uma única imagem para impulsionamento, visto que não é possível realizar essa ação em álbuns;
  • Os posts precisam ser elegíveis, caso contrário, o Facebook não irá realizar a ação.

Lembre-se de não sair clicando em qualquer post apenas para tentar ganhar mais alcance, o ideal é que os impulsionamentos sejam feitos em materiais que acarretem em algum tipo de ação, como baixar um e-Book, por exemplo.

Logo após criar ou escolher seu post, é preciso caminhar por algumas poucas etapas[a], que descreveremos a seguir:

  • Selecione o seu público-alvo
    Aqui, nada mais é do que escolher o perfil de pessoas que você deseja atingir, podendo, inclusive, se basear nas características daqueles que seguem/curtem a sua página.
  • Escolha as localizações
    É possível selecionar até 3: Facebook, Instagram e Messenger.
  • Defina o seu orçamento
    Quanto você pretende gastar para impulsionar o post? Você pode utilizar um orçamento definido previamente ou customizar o valor. O mínimo de investimento neste caso é de 1 dólar por dia.
  • Selecione o tempo de veiculação
    Escolha por quanto tempo você irá deixar o post no ar, sempre pensando de acordo com o orçamento definido na etapa anterior. Aqui você poderá visualizar uma probabilidade de alcance, de acordo com o dinheiro injetado no impulsionamento.
  • Impulsione!
    Lembre-se de que o seu post impulsionado terá a mesma cara da publicação, ou seja, a foto ou arte escolhida será a mesma postada, apenas com uma diferença: o CTA (famosa chamada para ação), onde o seu prospect poderá clicar e ser encaminhado para onde você acha mais relevante, de acordo com o objetivo naquele momento.

Regras para Impulsionamento de Posts

Vale ressaltar que alguns impulsionamentos não são aceitos pelo Facebook, como:

  • Você não pode impulsionar fotos de capa ou perfil, inclusive vídeos, a não ser que eles tenham sido publicados diretamente na timeline;
  • Se a sua publicação estiver como rascunho, ela precisará ser publicada antes;
  • Vídeos referentes à transmissões ao vivo, ou até mesmo vídeo programados, só poderão ser impulsionados por perfis que possuem selo de autenticidade, aquele azulzinho que costumamos ver em perfis mais famosos;
  • Posts que já expiraram são considerados irrelevantes e não oferecem o botão para impulsionar;
  • Se a sua conta estiver com suspeita de atividade incomum, poderá ter algumas ações bloqueadas sem aviso prévio. Um dos exemplos de atividade incomum sempre vistas é o ato de seguir e deixar de seguir usuários em larga escala em um único momento.
  • Publicações que não sigam as normas e políticas de privacidade do Facebook.

Para obter maiores informações sobre impulsionamento de posts, você pode acessar diretamente o artigo do Facebook sobre impulsionamento. Mas lembre-se: o objetivo do Facebook é fazer você usar o botão e, desta forma, gerar mais lucro para a plataforma.

Desvantagens de impulsionar um post

Parece prático, ágil e simples impulsionar as postagens no Facebook, principalmente porque a ferramenta retraiu algumas publicações, visando aumentar o foco do conteúdo disseminado como empresarial.

No entanto, quando apenas utilizamos essa maneira de divulgar produtos e/ou serviços, acabamos aumentando as chances de clique, compartilhamento e curtidas, mas e o número efetivo de vendas?

Muitas vezes tratamos as chamadas métricas de vaidade como algo muito mais valioso do que realmente é. Afinal, o número de curtidas, seguidores e interações pode estar enganando os olhos de quem vê, mas não quer enxergar.

Como isso? Bem, ao clicar no botão de impulsionar do Facebook, você vai estar sim turbinando seu perfil, mas, nem sempre, os prospects avançarão no funil de vendas ou mesmo tornarão-se leads.

Isso acontece porque não existe uma estratégia matadora de vendas por trás do impulsionamento.

Para a criação de anúncio, que consideramos infinitamente mais eficaz, outro “esquema” é utilizado e o chamaremos pelo nome marketeiro: dark post.

O porquê do nome é bem simples: esse post não aparece na sua linha do tempo, ou seja, ele será criado única e exclusivamente com um objetivo, sendo tratado dentro do Facebook Business.

No caso do dark post você poderá selecionar com maior precisão o público que deseja atingir, de acordo com o que espera de resultado para o anúncio. Essa é a primeira etapa da sua criação dentro da página.

Todos os anúncios nesse formato possuem configurações avançadas e vão muito além dos posts impulsionados, sabe por quê? Pois podem aumentar consideravelmente as conversões do seu site, visualização de vídeos, compras no e-commerce, instalações de aplicativo etc.

Os anúncios poderão ampliar o seu leque de possibilidades quanto ao posicionamento, objetivos específicos, diferentes tipos de peças e formatos (chamados de criativos), além de outros recursos avançados.

Com relação ao posicionamento, você poderá escolher onde quer estar: ao lado do feed de notícias do Facebook, nos anúncios do Messenger, no Stories do Instragram, dentre outros.

Ou seja, você vai estar onde o seu potencial cliente também está! Inclusive com a criação de públicos sobrepostos, semelhantes ou qualquer outro tipo que se enquadre no objetivo do seu anúncio.

Já no caso das peças a serem veiculadas, você poderá fazer variações que agreguem informações cada vez mais relevantes ao seu público, como por exemplo: anúncios em carrossel, com diferentes telas e textos para explicações de temas maiores, diferentes descrições e CTAs para que haja interação.

Caso queira se aprofundar um pouco mais neste tópico, o Facebook possui um artigo que explica a diferença entre “impulsionamento” e “dark post”.

Como funciona o gerenciador de anúncios de Facebook

Devido às suas múltiplas funcionalidades, o gerenciador de anúncios do Facebook pode parecer um bicho de sete cabeças, mas não é. Na verdade, este é o único caminho para conseguir resultados escaláveis no Facebook e Instagam através de anúncios. Explicaremos o porquê.

Vantagens de anunciar no Facebook pelo gerenciador de anúncios

Como falamos anteriormente, os dark posts possuem certas vantagens quando comparado ao impulsionamento de posts. Neste tópico, apresentaremos alguns dos recursos disponíveis no gerenciador de anúncios e explicaremos porque ele pode ser um divisor de águas entre o sucesso e o fracasso das suas campanhas.

Após publicar um anúncio no Facebook, é um tanto quanto simples verificar qual deles obteve desempenho considerável, podendo trabalhar a sua otimização, melhorando texto, imagem, estratégia e afins, para diminuir o Custo por Lead (conhecido como CPL).

Pixel

Essa já é uma palavra que assusta um pouco aqueles que não tem muito entendimento sobre o assunto. Mas calma! O pixel será um forte aliado das suas campanhas.

O que é e como implementar

O Pixel do Facebook nada mais é do que um pequeno código de acompanhamento, que possibilita que o Facebook relacione as suas campanhas com as atividades que os usuários realizam no site de destino dos seus anúncios.

Simplificando: ele permite computar eventos de conversão no seu site, criar listas de remarketing e, principalmente, que o algoritmo do Facebook otimize automaticamente suas campanhas para seu objetivo principal (conversão).

Para utilizar o pixel do Facebook, antes é preciso implementá-lo em todas as páginas do seu site.

Só aí a “mágica” acontece e você poderá: fazer o cálculo da taxa de conversão, impactar pessoas que acessam o seu site através de anúncios no Facebook (retargeting), criar um Lookalike Audience (falaremos mais sobre esse item abaixo) para expandir a audiência, criar campanhas com o objetivo de conversão, automaticamente otimizadas pelo algoritmo do Facebook.

Para que o pixel do fb possa ser instalado no seu site é preciso acessar o Gerenciador de Negócios, clicar no canto superior esquerdo (no Menu) e selecionar “Pixels”. Logo após, aparecerá um pop-up, onde você poderá colocar um nome exclusivo e confirmar a criação.

Em seguida, você poderá fazer a configuração dos pixels na sua página acessando o Google Tag Manager ou até mesmo manualmente, seguindo as instruções recebidas.

Sabemos que, atualmente, a rotina de empresas de diferentes portes tem andado bastante acelerada, fazendo com que procedimentos como esse fiquem em segundo plano, mas lembre-se da sua importância para o resultado final!

Caso você não tenha braços ou o conhecimento necessário para implementar o pixel do Facebook, fale conosco. Somos especializados em ajudar pequenas empresas e profissionais de marketing na estruturação de campanhas profissionais de Facebook Ads e na implementação dos recursos mais avançados da plataforma.

Remarketing no Facebook

Temos que concordar que algumas nomenclaturas podem deixar qualquer um confuso, principalmente aqueles que ainda não estão totalmente inseridos no universo on-line dos anúncios.

Mas não se preocupe, além de trabalharmos com soluções para você, também gostamos de compartilhar conhecimento, por isso esse tópico também é muito importante: o remarketing.

Um dos sentidos do prefixo “re” é a repetição e no Facebook Ads não poderia ser diferente, pois nada mais é do que um anúncio que irá aparecer de novo.

Mas, veja bem, aparecer de novo não quer dizer que ele será visto de forma repetida, como na primeira vez em que foi veiculado.

Uma estratégia de remarketing de abandono de carrinho, por exemplo, pode conter a mensagem “Finalize a sua compra agora!”.

Esse tipo de anúncio funciona como uma alavanca de conversão, pois se o seu público não foi impactado pelo primeiro anúncio e possui interesse no seu produto e/ou serviço, provavelmente dará certo ao utilizar o remarketing (quando bem aplicado).

Isso porque poderá atingir um lead aquecido, que é uma pessoa que já passou por uma ou mais fases do funil, podendo estar bem próxima de efetivar a compra.

Quer um exemplo prático? Quantas vezes você já pesquisou algum produto na internet e ele andou lhe “perseguindo” por aí?

Às vezes parece que estamos sendo espionados, mas é só o remarketing fazendo o trabalho dele. Por exemplo:

Você está procurando por utensílios de cozinha em um determinado site, colocou os produtos no carrinho, mas fechou a página para pensar melhor sobre a aquisição. Pronto!

Se o site está trabalhando com alguma campanha de remarketing, inevitavelmente você será impactado com anúncios em diferentes sites e plataformas diferentes, de acordo com o que foi programado pela marca.

Isso irá fazer com que você repense na aquisição dos produtos, com toda certeza, afinal, “quem não é visto não é lembrado”.

Ou seja: o seu prospect avançou em uma etapa, sabendo que precisa comprar determinado produto e/ou serviço, pesquisou, acessou o site e, por algum motivo, resolveu não efetivar a compra no primeiro momento, o que é extremamente comum.

A maioria dos clientes não compra logo de cara, precisam de análise, mais pesquisa, opiniões e, só assim, tomarão uma decisão final.

Nesse caso, o remarketing desperta a certeza do que ele estava buscando, ativando a lembrança de que determinado item ou serviço se faz realmente necessário, geralmente não são compras por impulso.

É aí que o remarketing pode ser o seu fiel aliado, aparecendo uma, duas, três ou mais vezes na timeline do seu potencial cliente e auxiliando na tomada de decisão.

Como fazer o remarketing no Facebook

Em primeiro lugar deve-se pensar com estratégia! Não adianta a sua empresa ficar perseguindo possíveis leads aquecidos e virar uma marca odiada por aparecer tanto. Sim! Isso acontece.

É preciso analisar quais são os objetivos reais do seu remarketing. Quer captar o cliente que deixou o carrinho de compras cheio e saiu sem comprar? Ou quer fidelizar seus clientes e aumentar o seu banco de contatos?

Todo objetivo é legítimo se ele proporcionar resultados para a sua ação, concorda? Então, puxa a cadeira, monte o seu planejamento e vamos aprender a fazer o tal do remarketing.

  1. O primeiro passo para montar o seu remarketing é estar dentro da sua página comercial do Facebook;
  2. Acesse a Central de Anúncios, no canto esquerdo da sua tela e, bem no meio da página, aparecerá “Criar Anúncio”;
  3. Clique em “Ferramentas”;
  4. Escolha seu público na aba de mesmo nome, clicando em “Criar Público Personalizado”;
  5. Logo após, clique em “Tráfego do Site”;
  6. Para selecionar o intervalo de avaliação, selecione o período dentro da opção de mesmo nome;
  7. Você poderá escolher um nome personalizado para essa segmentação, por isso, utilize temas de fácil acesso para campanhas posteriores. Cuidado para não misturar com outras segmentações diferentes já criadas, se for o caso;
  8. Clique em “Criar Público” quando finalizar e OK para continuar.
  9. Você será avisado sobre o pixel, caso ele ainda não esteja instalado no seu site. Você precisa fazer o processo do pixel apenas uma vez!

Fique atento! A sua campanha só será efetivada se você instalar o pixel no seu site. Pois ele possui diversas funções essenciais, como: captar e armazenar, através de cookies, dados e informações dos usuários. Além disso, ele fornece: número de visitantes, impressões, cliques etc.

Vale alertar que, de acordo com a nova LGPD – Lei de Proteção de Dados – seu site deverá possuir uma área com a Política de Privacidade atualizada, além de um espaço para que o seu visitante saiba – e concorde – com a utilização de cookies para a captação de dados.

Públicos semelhantes / lookalike: o que são e como criar uma lista

Um público semelhante nada mais é do que uma rede de pessoas bem parecida com os seus atuais consumidores, simples assim!

Como já falamos anteriormente, para criar anúncios você precisa estar logado no perfil empresarial ou ser um moderador.

O site do próprio Facebook ensina o passo a passo de como criar, veja a seguir:

  1. Acesse seus Públicos / Audiências Customizadas;
  2. Clique em “Criar Público” e selecione “Público Semelhante”;
  3. Escolha sua origem
  4. Selecione o país ou os países onde você deseja encontrar um conjunto semelhante de pessoas;
  5. Escolha o tamanho de público desejado;
  6. Clique em “Criar Público”.

Na página oficial do Facebook for Business é possível encontrar o passo a passo para criar listas de retargeting / remarketing.

Objetivos de remarketing no gerenciador de anúncios

Para que você perceba ainda mais a importância de realizar campanhas dentro do seu gerenciador de Anúncios, listamos abaixo alguns dos benefícios, principalmente do remarketing:

  • Aumentar as vendas e diminuir o número de desistências;
  • Recuperar carrinhos abandonados no e-commerce;
  • Oferecer produtos complementares à uma compra já efetuada;
  • Reduzir custos com marketing, visto que o remarketing “conversa” com leads aquecidos;
  • Saber com qual público está interagindo, podendo selecionar clientes com maior potencial de compra;
  • Acompanhar os resultados e saber mais a fundo o que o seu público-alvo deseja adquirir.

Aproveite dessas oportunidades para alavancar as suas vendas e garantir retorno total do investimento feito com divulgação. O bom cliente não é apenas aquele que compra, mas o que vira um evangelizador da marca, espalhando suas boas impressões com todo mundo!

Não esqueça de conferir os formatos e dimensões de anúncios disponibilizados pelo Facebook.

Mensuração de resultados

Se você acha que depois de criar uma campanha você terá finalizado o trabalho está muito enganado! É aí que começa a parte boa: a mensuração de resultados.

Para saber se os seus anúncios foram bem sucedidos é importante analisar diferentes métricas, visando ajustar o que deu errado e aproveitar ainda mais os recursos que deram certo.

Dentre algumas, podemos citar:

  • Número de alcance, ou seja, quantas vezes o usuário foi impactado por aquele anúncio;
  • Frequência: quantas vezes o seu anúncio aparece para um usuário específico (lembrando de não exagerar para não causar irritação no seu lead);
  • Ações, que nada mais é do que o que você espera que o usuário tome como ação quando visualizar o seu anúncio;
  • Cliques: quantas vezes o seu anúncio foi clicado;
  • CTR: mais importante do que o número de cliques, o CTR é a taxa de cliques, que indica se o seu usuário está realmente interessado no que está vendo;
  • CPC, que mostra quanto você gastou por cada clique no seu anúncio (analise junto com o CTR);
  • ROI – retorno sobre o investimento – saiba se o seu anúncio está realmente oferecendo retorno financeiro ou se você está apenas gastando dinheiro atoa.

Anuncie você mesmo no Facebook

Viu? No começo pode parecer um pouco complicado pela quantidade de informações, mas após criar a sua primeira campanha, com certeza você ficará familiarizado com o passo a passo.

Além disso, ao conseguir mensurar os resultados e obter o retorno pretendido, será ainda mais prazeroso montar campanhas completas para a sua empresa de produtos e/ou serviços.

Para a criação de anúncios não é necessário que se contrate uma agência, visto que a internet nos oferece um vasto mix de informações relevantes, que podem nos levar ao topo!

Você também pode contratar uma consultoria online de Facebook Ads, sem burocracia, custos elevados e vínculos de contrato a perder de vista. Que tal experimentar?

Consultoria de Facebook Ads

Agências são caras, têm contratos longos e geram dependência

“Mas por que eu não devo contratar uma agência?”

Os publicitários e “marketeiros” que me perdoem, mas uma agência não é 100% necessária em alguns casos.

A maioria delas trabalha com uma equipe interna que gera custos e quem paga esses custos é o cliente, concorda?

Desenvolver campanhas e anúncios é possível mesmo que sozinho(a). Afinal, o que seria de nós sem as plataformas mestres do conhecimento: Google, YouTube, consultores freelancer.

Outro detalhe são os contratos… sempre burocráticos, eles podem prender a sua marca em um limbo infinito de novas demandas (mesmo que você tenha contratado a agência apenas para uma única campanha).

É como alugar um imóvel e querer trocar de lugar na mesma semana, as multas são altíssimas. Qualquer tipo de contrato acaba sendo a mesma coisa!

Outro fator é que elas geram uma certa dependência e logo após deixar uma agência você precisará se vincular a outra, outra e mais uma, como um círculo vicioso.

Além disso, é preciso ter um certo entendimento do assunto para cobrar os resultados. Afinal, você estará disponibilizando o seu dinheiro como um investimento e precisa saber exatamente onde ele foi aplicado, não é mesmo?

Quais métricas foram analisadas, como os anúncios foram construídos, quais públicos eles escolheram e todos os outros indicadores que listamos mais acima neste post.

Então, pra que gastar tanto com uma coisa que você vai precisar ter conhecimento aprofundado para controlar da melhor forma? Torne-se independente e realize as suas próprias campanhas, seguindo as melhores prátias e os recursos mais avançados. Se precisar de ajuda, solicite um agendamento com nossos consultores de Facebook Ads!

Conclusão

Repassando o que foi visto neste post, podemos perceber que a internet está cheia de informações relevantes quando o assunto é DIY (o famoso faça você mesmo).

Precisamos incorporar ao nosso dia a dia a obtenção desses conteúdos de qualidade, para que possamos tomar as rédeas não só dos negócios, como também da vida.

Afinal, ninguém quer criar um vínculo longo e oneroso apenas para criar anúncios, divulgar a marca e obter o retorno financeiro que se deseja.

Basta acessar conteúdos redigidos por especialistas no assunto, buscar por checklists e algum passo a passo que seja capaz de lhe colocar no caminho do sucesso. E se precisar de ajuda, temos especialistas de Facebook Ads à sua disposição.


Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.